Em breve publicarei uma matéria completa sobre a vinícola Milantino, porém, adianto duas preciosidades da enologia brasileira, destinados a enófilos exigentes, e, sobretudo, que apreciam a degustação de vinhos de guarda. – Como assim? Todo enófilo não aprecia vinhos amadurecidos? – Não só a maioria das pessoas prefere vinhos jovens e leves (o que faz com que os vinhos comerciais chilenos sejam tão atrativos), como não tem costume de degustar e avaliar um vinho amadurecido. O entendimento do que um vinho mais antigo oferece requer estudo e prática, pois sua complexidade mostrará aromas e sabores completamente distintos de um vinho jovem. O domínio das frutas ou herbáceos comum em vinhos jovens, denominados aromas e sabores primários, derivados da fruta ou das características da região, dão lugar a aromas secundários, resultantes dos processos de vinificação (em especial o estágio em barris de carvalho), e terciários, provenientes das reações químicas que ocorrem na garrafa, ao longo dos anos, em que taninos, ácidos, proteínas, fenóis, entre outros compostos, ligam-se formando novos elementos e liberando outros, tornando os vinhos que são feitos para amadurecer em verdadeiras bombas aromáticas e organolépticas.


Estas sensações e características podem ser sentidas no Tannat Reserva Milantino 2005 e no Merlot Reserva 2004. Ao perceber minha paixão por vinhos encorpados e amadurecidos, Luís Milani, proprietário da Milantino, ofereceu-me estes dois exemplares. Tenho que admitir que após duas décadas ciente da capacidade dos produtores brasileiros fazerem vinhos de guarda (apesar da insistência de muitos em dizer que aqui isto não é possível), sempre que me deparo com novos exemplares, fico impressionado e feliz. Encorpados (taninos, acidez e  persistência marcantes) e complexos, possibilitam aos enófilos buscar em suas memórias olfativas e gustativas este ou aquele aroma e sabor de que se recordam. Especiarias, graus de tostados ou tipos de chocolate, frutas secas ou minerais, à disposição para serem percebidos. E os pratos que se harmonizam com estes dois vinhos? Os Chefs, sommeliers e cozinheiros de fim de semana como eu, podem colocar a criatividade para funcionar, pois a dificuldade será definir entre tantas possibilidades que surgirão. Ficou curioso? Prove estes dois vinhos e entenderá o que escrevo.