Degustação: Setembro/2018


De coloração esverdeada de média intensidade, confirmando se tratar de um vinho de uvas de leve maturação e sem passagem por madeira, sendo o frescor e jovialidade suas características marcantes, representando com excelência o terroir de Campos de Cima da Serra. Aromas e paladares de frutas brancas (maça verde e pêra), leve cítrico e abacaxi. Com a degustação surgiu um toque de damasco que me agradou bastante. Mas na boca vem o seu ponto alto, acidez vivíssima, lembrando um vinho verde Português, com sua picância em boca lembrando uma baixa presença de CO2 (frisante).


Simplesmente excepcional este Chardonnay, perfeito para dias quentes, que demandam refrescância e paladares e sabores consistentes. Sua degustação com conserva de alcachofras, azeite e pão árabe encaixou perfeitamente, mas iria perfeitamente com a moqueca capixaba, frutos do mar em geral, e pratos de carnes brancas e risotos de fungos e outros temperos ácidos. Não indicado para quem gosta de vinhos brancos macios, adocicados (chilenão); indicado para quem gosta do estilo clássico de vinhos ... se você gosta de um Chablis, experimente este Chardonnay. O tipo de vinho que eu quero elaborar.