Publicação: 03/12/2018

Com parreirais situados no Vale dos Vinhedos, Garibaldi –RS, a família Batistelo é uma das referências no cultivo de Vitis viníferas (venda para terceiros) de qualidade para a elaboração de vinhos finos. Mateus Batistelo inicia a vinificação de suas uvas na safra 2013, com a vinícola Dom Bernardo, em homenagem ao seu “nono”, elaborando vinhos de ótima qualidade enológica, tecnicamente falando.



Degustei os vinhos de sua primeira safra 2013 há dois anos, e apesar de verificar a qualidade dos produtos, não me agradaram, pois estavam excessivamente amadeirados. Mês passado Mateus me convidou para degustar os vinhos da safra 2015, e como ele frisou, "aprendi a lidar com a madeira", e para a minha grata surpresa, os vinhos estão sensacionais, equilibrados, ótima estrutura, vinhos com a tipicidade que procuro.



Certamente, uma das melhores vinícolas que surgiram nos últimos anos, com o foco de elaborar vinhos clássicos, e por isso fico muito feliz em apresentá-la aqui no blog.


PRODUÇÃO LIMITADA DE 800 A 1.200 GARRAFAS/ANO DE CADA EXEMPLAR, DE UVAS SELECIONADAS, ALCANÇANDO ALTA QUALIDADE.


VINHOS BRANCOS

VINHOS TINTOS


Farei uma descrição técnica de cada um dos vinhos tintos Dom Bernardo, mas ressalto que foi uma grata surpresa ver a evolução no equilíbrio com relação à madeira em todos os vinhos, visto que não foi esta a situação encontrada nos exemplares da safra 2013, extremamente amadeirados, iguais, sem respeito às características varietais das cultivares. Os cinco vinhos tintos da safra 2015 respeitam a tipicidade de suas uvas, e estão excelentes para se degustar no momento, mas com grande capacidade de guarda dadas as boas concentrações de taninos e ácidos, aumentando a complexidade com o envelhecimento. Todos os vinhos tintos podem ser decantados para ampliação de aromas e sabores, caso seja do agrado do degustador esta prática.

TEMPRANILLO


Ao contrário dos vinhos espanhóis desta cultivar com excesso de madeira, este Tempranillo 2015 retrata tudo que esta cultivar tem a nos dar, com a uva apresentando suas características do começo ao fim da garrafa. Complexidade e diversidade, assim posso descrever os aromas deste vinho. Esta cultivar não possui aromas característicos de frutas como as francesas, e se apresenta com aromas mesclados de frutas, couro, mentol, entre outros, e assim se apresenta este exemplar, finalizado com uma leve madeira. Guardada a diferença de tempo de envelhecimento, este vinho tem as características do Tempranillo 2018 elaborado para o Projeto de Vinificação em Grupo 2018 da Adega do Chamon, estruturado em taninos e ácidos, complexo e saboroso. Além da degustação na vinícola, levei este vinho para casa e degustei com uma massa ao molho de extrato de tomate, fungos diversos, temperado com tandoori e zaatar. Formidável.



CORTE 2013 EDIÇÃO DO ENÓLOGO


50% marselan, 25% Syrah e 25% Merlot. Elaboradas 320 garrafas, sem filtração, sendo a recomendação do enólogo a decantação para abrir aromas e sabores. Eu não degustei este vinho, mas acredito que seja um vinho bastante estruturado e complexo, seguindo a tendência da vinícola.



Quando visitar Garibaldi-RS, não deixe de conhecer e se surpreender com a Vinícola Dom Bernardo. Certeza de bons momentos, degustando vinhos clássicos, de alta gama da vitivinicultura naciona.


Até a próxima!!