Degustação dos vinhos: setembro/2018

A vinícola Aracuri representa com grande qualidade a tipicidade das uvas colhidas nas elevadas altitudes de Campos de Cima da Serra - RS, divisa com a Serra Catarinense. Trata – se de um terroir conhecido por elaborar vinhos de altitude. Dias amenos no verão e noites frias fazem com que o ciclo de brotação, fase vegetativa, virada de cor e maturação seja lento, com ciclos de produção mais longos, comparado à regiões quentes. Este lento processo proporciona uvas com grande equilíbrio entre carboidrato, taninos e ácidos, comuns às regiões europeias, o que resulta em vinhos do estilo clássico, de guarda, estruturados e gastronômicos. Por a atual tendência de vinhos comerciais serem muito alcoólicos e adocicados, de baixos taninos e ácidos, os vinhos de altitude atraem um público específico, de enófilos que procuram suas características, ao contrário da grande massa de consumidor que deseja maciez, vinhos domados.


Apresento aos amigos alguns produtos da vinícola:


CABERNET SAUVIGNON COLLECTOR 2012: degustado com calma, decantado e aerado, este vinho se mostrou maravilhoso desde o seu início. Cor rubi intensa, no aroma demonstra o equilíbrio que eu esperava, com o aroma da barrica de carvalho em harmonia com os aromas da cultivar, da vinificação e do envelhecimento. Leve baunilha se mescla a frutas negras maduras e um pouco de compota, com toques de pimenta do reino, característica da cultivar. Na boca estrutura e corpo forte, de taninos e ácidos de uvas de ótima qualidade, com um enorme potencial de envelhecimento. Um vinho maravilhoso, que deve ser degustado em momentos em que possa ser corretamente avaliado. Harmonizar com pratos encorpados e temperados de carnes, massas e risotos.



PINOT NOIR ARACURI 2016: vinho de coloração rubi clara de baixa intensidade, representa bem a tipicidade desta uva em Campos de Cima da Serra. Corpo médio em de taninos e ácidos, macio, mas com bom ataque em boca, gastronômico e com boa persistência. Alia refrescância, aromas frutados e boca elegante. Muito interessante para quem aprecia esta cultivar em sua tipicidade. Harmoniza com pratos leves, carnes brancas, bacalhau e risotos leves.



MERLOT ARACURI 2012: austero, adjetivo que qualifica este Merlot. Coloração rubi de alta intensidade, este vinho de corpo médio/forte apresenta ótima estrutura e complexidade. Merece ser decantado e degustado a temperaturas amenas, para que seus compostos aromáticos possam se expressar com toda intensidade. Frutas negras diversas, e uma leve compota. Ao contrário da maioria dos vinhos desta cultivar, que costumam ser facilmente entendidos e saboreados, sua austeridade e complexidade exigem paciência para que possa ser avaliado. Merece ser decantado para que seus aromas e sabores se expressem mais fortemente, e sua harmonização exige pratos de carne vermelha com temperos fortes. Um ótimo vinho



CABERNET SAUVIGNON ARACURI 2012: intensidade e estrutura, representa com perfeição a tipicidade da Cabernet Sauvignon, mesclando aromas de pimenta do reino, frutas negras, com especiarias do envelhecimento. Um vinho de corpo médio/forte, taninos e ácidos presentes, mas elegante e saboroso em boca. Perfeito para harmonizar com pratos temperados e estruturados. Um pouco difícil falar mais, pois os vinhos são todos ótimos, e dispensam muitos comentários. O melhor é degustar, como tive a oportunidade de fazer.



CORTE CABERNET SAUVINGON / MERLOT 2013: bastante frutado, vermelhas e fretas, leve pimenta do reino. Se teve algum contato com alternativo de carvalho foi muito pouco e de ótima qualidade, mantendo o frescor do seu aroma, aliado à complexidade do envelhecimento em garrafa. Ao longo da degustação os aromas evoluíram para caramelo, frutas compotadas de grande qualidade, surpreendente. No paladar, vinho de corpo médio, com taninos macios, sendo o seu ponto alto a ótima acidez, que o equilibra e o torna muito gastronômico. Ótimo para se degustar em momentos descontraídos, com churrasco ou carnes com temperos um pouco mais fortes.