Os jantares do Clube do Bolinha, na sede da Associação dos trabalhadores da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves, com a participação de profissionais da instituição e amigos convidados, para mim não se resumem a momento para apreciar boas comidas, bons vinhos e bom papo. Como enófilo e estudante de enologia, é mais uma oportunidade de um profundo aprendizado por conta da presença de enólogos e agrônomos da Embrapa, professores do IFRS e produtores experientes. Uma reunião informal de grandes cabeças pensantes do vinho brasileiro. No último evento degustamos o espumante da variedade Prosseco da Estrelas do Brasil, do enólogo e profissional da Embrapa Irineo Dall’ Agnol, o Marselan 2007 da Cave Antiga, do produtor e especialista da enologia João Carlos Taffarel, e o Cabernet Sauvignon 2014 da vinícola Panceri, de Santa Catarina, levado por mim. Para acompanhar uma deliciosa feijoada, apesar de ser o mais leve espumante da Estrelas do Brasil, este Prosseco carrega a marca de seu produtor, com leve aroma de especiarias junto com o cítrico natural desta bebida no Brasil. Boca persistente e agradável, bom frescor e acidez, fazem com que se encaixe muito bem com o prato. O Cabernet Sauvignon 2014 de Santa Catarina tem como propósito ser um vinho leve e frutado, para ser bebido jovem. Estava muito agradável, sendo degustado antes da janta, pois sua boca suave faz com que se harmonize bem com entradas menos temperadas. E por fim, o Marselan 2007 da Cave Antiga, um vinho especial, que degusto sempre que posso, e não canso de publicar na Adega do Chamon. Eu adoro a variedade Marselan, e o exemplar elaborado por Taffarel e pelo enólogo Christian Ambrosi é excelente, um vinho complexo no aroma e no sabor, que está no seu ápice após quase 10 anos de amadurecimento. É muita coisa boa junta.