O enófilo capixaba Daniel Perini, entusiasta do vinho nacional, e que, apesar de entender a importância do uso do carvalho para dar complexidade a certos vinhos, tem a competência para compreender a excelente qualidade dos exemplares elaborados sem o contato com a madeira, nos quais são privilegiados, pelo enólogo, as características da uva, do seu terroir e da vinificação, os quais aportam aromas e saboreis primários e secundários que, por si só, geram incrível complexidade, sendo necessário que o degustador tenha experiência para avaliá – los. Uma conhecida vinícola brasileira que se destaca na produção de vinhos sem madeira é a Lídio Carraro, do Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves – RS.

Daniel impressiona – se com a qualidade do Teroldego 2010 Singular, variedade italiana provenientes de vinhedos próprios de Encruzilhada do Sul, uma das mais importantes regiões da viticultura gaúcha. “Bato palmas de pé para esse vinho...interessantíssimo...aromas de frutas negras, com especiarias...um toque de terra molhada...no paladar taninos marcantes, porém macios, polimerizados de uvas com ótima maturação fenólica, e equilibrado com o que o vinho oferece...sua boa acidez lhe dá ótima persistência de fundo de boca e o torna gastronômico. É o nosso Brasil fazendo vinho de qualidade”.