Enófilos apreciam os exemplares nacionais em ocasiões distintas, demonstrando a diversidade dos vinhos do Brasil.


O Chardonnay Leolpoldina 2013 da Casa Valduga foi degustado por Ubirajara Pinto e confrades, e a avaliação foi de uma “grata surpresa”, pois este branco permanece com boa estrutura e frescor, apesar dos seus 4 anos de vida. Aromas cítricos com nuances de abacaxi em calda, certamente pela evolução em barricas de carvalho francês.


Seguindo a regulamentação da Denominação de Origem do Vale dos Vinhedos para a sua elaboração (única do Brasil), o Leolpoldina 2013 ganhou a medalha de ouro e quarto lugar entre os cinco melhores do mundo na 22ª edição do Concurso Chardonnay Du Monde, realizado na França, sendo o primeiro vinho brasileiro a entrar para o ranking Top10.



Breno Bergmann degustou um vinho elaborado a partir da Dupla Maturação Direcionada, técnica que corta o floema do ráquis e impede a entrada ou saída de água e nutrientes do cacho de uva, provocando sua passificação ainda na planta. Este processo tem como objetivo diminuir a relação sólido/líquido na planta, concentrando açúcares, ácidos e polifenóis, gerando características similares ao Amarone italiano. Breno impressionou-se com a potência do DMD 2005 Cabernet Sauvignon, apesar de sua idade. Acidez e taninos vivos, mas equilibrados, aromas de chocolate, café, e pimenta do reino, típico da cultivar. Seguindo a recomendação do enólogo responsável, Irineo Dall‘Agnol, foi colocado no decanter para aerar várias horas antes de ser degustado.



Edezio Marques Silva experimentou o Capítulo IV Ouro Negro, um corte de 40% de Merlot e 60% de Cabernet Sauvignon, Alicante Bouschet e Tannat, da Vinícola Calza, Monte Belo do Sul – RS, exemplar muito bem avaliado por outros enófilos no blog, entre eles Wanderly Monteiro, da Wandervinhos. Para Edezio o vinho impressiona em qualidade e características.


Em minha avaliação, o Capítulo IV demonstra a competência técnica do enólogo Antoninho Calza, que mescla uvas de três anos para elaborar um vinho complexo e potente. Uma característica que muito me agrada neste exemplar é que a sua potência não permite o domínio do carvalho francês usado em seu amadurecimento, sendo possível sentir os aromas e sabores das castas utilizadas.