VINHOS E HISTÓRIA NA VINÍCOLA DAL PIZZOL


Localizada no distrito de Faria Lemos, na Rota das Cantinas Históricas, em Bento Gonçalves, a Dal Pizzol é um misto de vinícola e centro cultural do vinho, por conta do trabalho desenvolvido pelos seus proprietários, Antônio e Rinaldo Dal Pizzol. A propriedade abriga o Ecomuseu da Cultura do Vinho, uma grande área verde com lagos e animais silvestres, máquinas antigas usadas pelos antepassados e parreirais com variedades de uvas de diversas partes do mundo.



OS VINHOS DAL PIZZOL


Com diversidade de produtos, a Dal Pizzol possui uma política bem definida de produzir os vinhos da linha varietal (que possuem uma uva principal em sua composição) sem passar por barricas de carvalho, com a intenção de se preservar os aromos e sabores provenientes da própria uva e do processo de vinificação, o que resulta em vinhos de corpo leve a médio, frutados e prontos para beber ainda jovens. Porém, o que sempre digo ao senhor Antônio, é que o maior mérito desta vinícola é produzir um vinho que agrada aos consumidores que preferem vinhos menos encorpados, e também ao enófilo exigente, que em determinados momentos deseja degustar vinhos menos complexos, menos potentes, mas que possuem bom ataque em boca, com tanino e acidez suficientes para acompanhar pratos menos temperados, ou serem degustados com um leve tira gosto em uma roda de amigos. Outra característica fundamental que me agrada é que, apesar de sua leveza e frescor, não são vinhos adocicados, com aromas excessivos de frutas em compotas, o que para mim torna o vinho enjoativo.


Mas se você busca complexidade e surpresa em vinhos, experimente os cortes Enoteca e Quarenta Anos. Dois vinhos elegantes, com foco totalmente oposto à linha varietal, pois passam por um processo de vinificação que busca alta complexidade e capacidade de amadurecimento, com uvas com elevado rigor de seleção, estágio em carvalho, resultando em vinhos com taninos e acidez vivos, gastronômicos, que merecem decantação (aeração) antes de beber, possibilitando a liberação dos aromas e de sabores. O que impressiona são as distintas características encontradas em cada um, sobretudo nos aromas (em boca, ambos têm corpo forte e muita presença), pois no Enoteca eu sinto frutas pretas e vermelhas, baunilha e um pouco de especiarias (pimenta do reino, principalmente). Já o Quarenta Anos é um ótimo defumado, com couro, café e pimenta do reino.

VINUMMUNDI


Mantendo a tradição de unir cultura e vinho, desde 2011 os proprietários da Dal Pizzol realizam um evento para apresentar o VINUMMUNDI, um vinho produzido com centenas de uvas (isso mesmo) originárias de diversas partes do mundo. Esta celebração vitivinífera só é possível porque a Dal Pizzol possui espaldeiras com cada uma destas variedades, sendo considerado um dos mais completos parreirais em diversidade de cultivares do mundo. Marvrud (Bulgária), Vitouska (Iugoslávia), Kadarka (Grécia), Baco (França), Arriloba (França), Rebo (Itália), Peverella (Itália), Carignane (França), Elbling (Alemanha), Barlinka (Argélia), Albarossa (Itália) e uma série de outras castas mais e menos conhecidas que juntam-se em uma mesma garrafa, resultando em um vinho tinto agradável e macio.


E a cultura? O rótulo de cada edição do VINUMMUNDI é a réplica de uma tela feita por um artista plástico gaúcho, o que dá um charme especial à garrafa. A de 2015 é de autoria da artista Sônia Bervian Possamai, de Bento Gonçalves.


Neste dia especial, os convidados têm a oportunidade de conhecer este vinhedo e de participar de uma colheita simbólica, cada um sendo responsável por colher uma variedade; coube a mim a cultivar italiana Sangiovese.

Após a colheita, seguimos para o restaurante onde fomos recebidos com uma farta degustação de espumantes brancos e rosé, um momento descontraído antes do delicioso almoço acompanhado de vários vinhos Dal Pizzol.  


Ao final, cada convidado recebeu uma garrafa do VINUMMUNDI 2015. Eu degustei a minha com meus tios e primos que vieram me visitar, e todos gostaram muito. A garrafa ficará em minha adega, como recordação deste dia tão agradável proporcionado pelos senhores Antônio e Rinaldo Dal Pizzol, e por toda a sua equipe.



Dica: quando for à Dal Pizzol, vá com tempo para degustar e analisar os vinhos e para curtir a natureza e a história contada por esta empresa.


Até nosso próximo encontro!!!