Tive a oportunidade de preparar três moquecas capixabas (todas em grandes panelas de barro) para mais de 20 pessoas na casa do casal de amigos Ademir Dall Agnol e Selena Minozzo Dall Agnol, e do filho Diego Dall Agnol. Uma festa maravilhosa com siri, garoupa e marlim azul. Mais uma vez os pratos fizeram sucesso com os amigos gaúchos, que valorizam e respeitam a cultura capixaba representada pela nossa comida. Como é sabido, o vinho branco harmoniza melhor com frutos do mar, e na minha opinião, a cultivar Sauvignon Blanc é a que mais se encaixa com a nossa iguaria, com ótima acidez e frescor. Nada melhor para representar o Brasil do que um exemplar de Santa Catarina, com terroir perfeito para esta uva branca. Levei o Sarau 2016 da Santa Augusta, um vinho especial, com toda a tipicidade que se espera desta variedade.


Quem degustou adorou, em especial o amigo Diego Dall Agnol, que elogiou a estrutura e o aroma. O vinho tinto servido enquanto eu cozinhava foi o Cabernet Sauvignon 2009, da Vinícola Aracuri, de Campos de Cima da Serra – RS, a 960m de altitude. Apesar de saber da qualidade dos produtos elaborados por esta vinícola, este exemplar me impressionou pela complexidade e equilíbrio dos aromas e sabor gerados pelo amadurecimento, com mistura de aromas de frutas pretas, demonstrando ainda jovialidade, com frutas secas e pimenta do reino, taninos e acidez perfeitos, com grande presença em boca. Esta beleza nos foi servida pelo empresário e Chef Ivanir Nichetti de Campos, proprietário da rede de restaurantes Gaudério, de Caxias do Sul. Sobre Ivanir, além deste ótimo vinho, ressalto que, mesmo sabendo da inexperiência do amigo capixaba na cozinha, elogiou os pratos com entusiamo, assim como todos os amigos presentes na confraternização. O povo gaúcho novamente confirma a fama de acolhedor com quem é de fora. Se Deus quiser, terei ainda a oportunidade de apresentar a moqueca capixaba para muitos amigos aqui do Rio Grande do Sul.