Fui recebido para almoço pela amiga Leni Canossa em seu sítio em Monte Belo do Sul – RS, um lugar paradisíaco, o qual pode ser alugado para eventos. Estava acompanhado pela minha mãe, dona Boneca, meu irmão Glauco, Laura Fernandes e Fernanda Alves. Pratos especiais de peixes e carnes nos foram oferecidos, e um dos vinhos degustados foi o Alto das Figueiras Merlot 2011, da Bodega Czarnobay, de Encruzilhada do Sul – RS. Nova região vitivinícola do estado, produz uvas de excelente qualidade, unindo boa graduação de açúcar, ácidos e polifenóis, o que resulta em vinhos encorpados, caso seja intenção do enólogo. A história da vinícola é precedida pelo seu dono e enólogo Antônio Czarnobay, reconhecido pelo seu trabalho no mundo do vinho, o que faz com que esta pequena e recente vinícola se apresente como promissora referência de vinhos de qualidade.


Minha avaliação sobre este exemplar mescla um lado positivo sobre a sua excelente estrutura, cor rubi intensa e certa turbidez (sem clarificações e filtrações agressivas), encorpado, volumoso e persistente em boca, que confirma grande concentração de extrato seco (ácidos, sais orgânicos e minerais, compostos fenólicos, açúcares e polissacarídeos); com capacidade de guarda, mas macio e pronto para se degustar.  O lado negativo está no sabor e no aroma dominados pela madeira, apesar de o contra rótulo indicar presença sutil. Baunilha, coco e tostado suprimem os demais aromas e torna a sensação em boca doce e enjoativa (lembra-me muitos Malbec argentinos), reduzindo a complexidade que certamente este vinho teria se o carvalho tivesse sido utilizado com parcimônia.